Brasil – 6 medalhas na 56ª Olimpíada Internacional de Matemática

>>> revistagalileu.globo.com <<<

Parabéns aos estudantes brasileiros Pedro Henrique Sacramento de Oliveira, 16 anos, de Vinhedo (SP), Murilo Corato Zanarella, 17 anos, de São Paulo (SP) e Daniel Lima Braga, 17 anos, de Eusébio (CE). João César Campos Vargas, 17 anos, de Passa Tempo (MG), Gabriel Toneatti Vercelli, 17 anos, de Osasco (SP) e Rafael Filipe dos Santos, 17 anos, do Rio de Janeiro (RJ) por essa importante conquista.

É importante promover, divulgar e compartilhar essa notícia. O empenho, a dedicação e a conquista desses estudantes possuem uma importância relevante para a educação em nosso país. É preciso que nós Professores repensemos nossa prática pedagógica e busquemos aproveitar e despertar o grande potencial de aprendizagem dos estudantes brasileiros. Se nós não fizermos, ninguém mais fará.

medalhas_brasil

REFERÊNCIA

Ensino e Aprendizagem Da Geometria Esférica

>>>>  A Viagem do Caçador  <<<<  


resize_370_370_rev18pag35

“Um caçador saiu de um determinado ponto e caminhou 10 km ao sul. Depois virou ao oeste e caminhou mais 10 km. Então virou e caminhou novamente por mais 10 km ao norte, chegando ao local de origem”. Ficou surpreso, pois descobriu que voltara novamente à sua casa! Leia Mais…

Construindo o Tangram

Você já viu um Tangram? Leia as lendas que contam como ele surgiu e junte-se a um colega para desvendar os segredos do Tangram. 

tangram

Leia Mais…

“… A Matemática da Bola de futebol… “

Bola de futebol ou Icosaedro Arquimediano Truncado?


Você sabia que a bola de futebol (usada na Copa de 1970 e outras), é construída a partir do icosaedro, e em seus gomos temos 12 pentágonos e 20 hexágonos?EULER5

Para entender podemos começar pensando como se costura uma bola de futebol. O modelo clássico de uma bola de futebol é feito com 32 gomos (20 hexágonos e 12 pentágonos), os quais são costurados à mão entre si. A bola é cosida (costurada) do lado do avesso e, quando faltam apenas três gomos para acabar, o artesão vira para a face certa. O fechamento é feito com cuidado para que o último nó não fique aparente. A técnica é a mesma desde que surgiu esse modelo de 32 gomos, na década de 1950 e por possuírem uma esfericidade quase impecável, são muito precisas e equilibradas.

Leia Mais…

“… Sem Matemática não saímos do lugar…!”

A importância da Matemática em nossas vidas


O homem teve de levar os seus olhos até as profundezas do espaço para obter estas imagens. Não teria como fazê-lo sem a Matemática.

lugar

Também escondidas na beleza destas fotos há várias outras tecnologias, todas elas dependentes e ligadas à Matemática como, por exemplo, processamento de imagens, comunicação de dados e correção de erros em códigos.

A Matemática contém seus mistérios, mas também ajuda a desvendar outros.


Referência:

IMPA – INSTITUTO DE MATEMÁTICA PURA E APLICADA. http://www.impa.br/opencms/pt/

“A Informática Educativa no Brasil”

Você tem ideia de como as primeiras iniciativas de uso dos computadores ocorreram no Brasil..?


No Brasil a relação entre informática e educação pode ser considerada muito recente, visto que somente nos últimos anos houve interesse dos governantes. Atualmente a escola não pode ignorar as profundas alterações que as tecnologias introduziram na sociedade, as quais criam novas formas na relação ensino e aprendizagem.

Esta postagem tem por objetivo apresentar um breve histórico de algumas ações pioneiras iniciadas em nosso país a fim de inserir o computador no processo educacional brasileiro. Através de uma linha do tempo é possível identificar as principais ações que vão desde o surgimento do Núcleo de computação Eletrônica (NCE) criado em 1966, até o surgimento do Programa Nacional de Informática na Educação (PROINFO) no final da década de 90.


1 Leia Mais…

A Utilização da Calculadora em Sala de Aula

Calculadora em Sala de Aula: Vilã ou Coadjuvante?


calculadoraPara falar sobre o uso das novas tecnologias no ensino da Matemática é preciso pensar sobre o que esperamos delas em nossas práticas pedagógicas. A utilização da informática, computadores e calculadoras em sala de aula, aliada ao processo de ensino e aprendizagem, podem transformar esses recursos em máquinas de ensinar e aprender Matemática.

O uso das novas tecnologias no ensino da matemática exigirá dos professores a releitura crítica de suas práticas. Sem essa releitura, o uso das novas tecnologias terá consequências mais devastadoras do que construtivas. (MATHIAS, 2008, p.6)

Este texto busca apresentar uma breve reflexão sobre a utilização da calculadora em sala de aula, assim como a compreensão dos aspectos positivos e negativos dessa prática, a qual ainda é motivo de muita divergência entre alunos e professores.  Tentaremos entender como este aparelho tão utilizado em nosso cotidiano pode ser um aliado do professor na busca pelo despertar de habilidades e competências em nossos alunos.

Sempre que nós professores falamos da utilização de calculadora em sala de aula, surge em nossos pensamentos uma série de ideias carregadas de preconceitos e opiniões equivocadas, talvez fruto de uma formação inicial tradicionalista, desconectada da ideia de tecnologia aliada à pratica pedagógica e de um paradigma que se perpetua até hoje. Leia Mais…

“… Sem Matemática ficamos no escuro…!”

A importância da Matemática em nossas vidas


Em casa, nas escolas, no trabalho, todos precisamos de energia elétrica. E para que ela chegue até nós é feito um levantamento de toda energia ofertada no País, dos custos para transmiti-la, distribuí-la e do nível de necessidade dos consumidores.

energia2

É a Matemática que permite realizar todos esses cálculos e selecionar as propostas de produção das várias usinas e, deste modo, se obter a maior segurança no abastecimento e os menores preços para os usuários.

Pensando nisso, você ainda tem medo do escuro?


Referência 

Texto publicado pelo IMPA – INSTITUTO DE MATEMÁTICA PURA E APLICADA.

“… Sem Matemática ninguém anda…”

A importância da Matemática em nossas vidas


Os meios de transporte estão, a cada dia, mais presentes em nossas vidas. Sua importância em nosso dia-a-dia trouxe a necessidade de novas tecnologias que os tornem mais seguros, eficientes e menos poluentes. Só com a ajuda da Matemática foi possível construir o primeiro motor, o primeiro trem, o primeiro avião.

transportes1

Organizar os dados sobre o fluxo de veículos nos milhares de cruzamentos das grandes cidades, determinar o melhor tempo de abrir e fechar cada sinal de trânsito, os minutos entre a chegada e a partida de cada vagão do metrô, são tarefas difíceis de mais que não poderiam ser feitas sem a Matemática e os computadores. Tudo isto ajuda a reduzir bastante o tempo perdido em nossa locomoção.

E vamos em frente que o sinal abril!


Referência 

Texto publicado pelo IMPA – INSTITUTO DE MATEMÁTICA PURA E APLICADA.

“… 06 de Maio — Meu Dia Nacional da Matemática …”

 Feliz dia Nacional da Matemática!


Este é mais um dia como outros tantos na nossa vida. De forma geral, em um dia normal nós pensamos sobre inúmeras coisas, sentimos incontáveis outras e fazemos o incomensurável. Vale salientar que não necessariamente nessa ordem, ou sempre da mesma forma e algo nos leva a crer que a Matemática está dentro e fora de nós.

cropped-11.png

Quando nos detemos sobre um pensamento, uma nova ideia ou algo que nos inquieta, surge algo que a maioria das pessoas não se dá conta, o infinito. Em outras palavras se pudéssemos visualizar a quantidade de pensamentos, que vão e vem, que se alternam, que cedem a vez para os novos que surgem sem parar, a cada instante, então talvez pudéssemos contá-los. Será que é possível nos separar de nossos pensamentos e observá-los, ou quantificá-los, nem que seja por um breve segundo? Será que é possível somar ou subtrair pensamentos? Será que para cada pensamento existe um pensamento contrário de mesma intensidade, sobre o mesmo assunto e que seja capaz de neutralizar o primeiro? Parece estranho, mas as ideologias políticas as dialéticas, são exemplos práticos de pensamentos sistematicamente organizados e que algumas pessoas acreditam cegamente. Caso haja alguma figura que eu possa associar a essa ideia, eu escolheria uma entre tantas que o artista holandês Escher (1898 – 1972) utilizou para expressar algo que não tem início nem fim.

Leia Mais…